quarta-feira, 15 de agosto de 2018

As caldeiras da Usina Elétrica de Santarém



Nestas duas fotos podemos ver o que pouca gente conheceu: a época em que a cidade de Santarém era abastecida pelas duas caldeiras à vapor que geravam energia elétrica para o município. O senhor José Dias (popular Cazuza, pai do seu “Cazuzinha” e avô do meu amigo Paulo Dias), era quem ajudava a manter a cidade abastecida de energia. Estas fotografias da década de 1950, foram cedidas ao blog pela senhora Eunice Corrêa.

O que representa o 15 de agosto de 1823?


Me pediram para responder essa pergunta hoje de maneira bem sucinta. Bem, vamos tentar...
Para muitos paraenses a data de 15 de agosto é apenas mais um feriado, um dia para descansar ou passear... Na verdade, as tensões políticas e sociais que levaram ao 15 de Agosto de 1823 são muito mais importantes do que se imagina.
Voltemos ao 07 de setembro de 1822. Dom Pedro I proclama a Independência do Brasil. Mas não foi bem de todo o Brasil. Algumas Províncias continuaram fiéis à Portugal: Cisplatina, Bahia, Piauí, Maranhão e Grão-Pará. Mas Dom Pedro queria um Brasil unido em torno do Império recém-fundado. E seus planos incluíam todas as províncias que não aceitavam a Independência do Brasil. Ao contrário do que muitos pensam, a Independência não foi um evento pacífico, houve muito sangue derramado para que nosso país consolidasse sua independência política.

sábado, 11 de agosto de 2018

Lavagem de carros e banho no igarapé do Irurá, em Santarém


Uma das cenas recorrentes de quem passava pela rodovia Fernando Guilhon no início da década de 1980 era poder ver vários carros sendo lavados ao lado de banhistas que então frequentavam o já padecente igarapé do Irurá, na cidade de Santarém. Foto do acervo ICBS.



sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Praia em frente da cidade de Santarém na década de 1950


O rio Tapajós passando em frente à cidade de Santarém, banhando suas praias na década de 1950. Uma época em que os pescadores em suas embarcações a vela e as lavadeiras de roupa eram vistas com frequência nas margens fronteiras à urbe tapajônica. Fotografia cedida ao blog pela senhora Eunice Correa.



quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Sobre os primórdios da história do Bairro do Santarenzinho – 1981


No mesmo dia em que Dom Lino chegou a Santarém, moradores da comunidade do Santarenzinho, um bairro em “nascimento” naquela época, colocaram diversas faixas e cartazes que eram lidos pelo recém-chegado futuro Bispo de Santarém. Uma dessas faixas aqui reproduzimos, contendo os dizeres: SANTARENZINHO – NÃO TEMOS ÁGUA, LUZ, EMPREGO SEGURO, MAS SOMOS POVO DE DEUS E SAUDAMOS DOM LINO. Eram fins do período do Regime Militar, e protestos como esse se tornaram frequentes não somente em Santarém, mas em todo o país.



A chegada de Dom Lino Vombömmel a Santarém – 1981


Era o dia 12 de agosto de 1981. Em um voo da “Cruzeiro do Sul”, chega a Santarém o frade franciscano Lino Vombömmel, que seria ordenado Bispo no dia 15 de agosto do mesmo ano, em Santarém. Na fotografia, momento em que o ainda Frei Lino desembarcava do avião para pisar em terras santarenas.



Momento Poético: PAISAGENS


Por Augusto Lopes

Estrada de Rodagem, salvando as
intransponíveis cachoeiras do Tapajós,
conhecidas por Maranhão-Grande e Flexal.

Deito à estrada o olhar, e esta estranha pista
Intérmina se vai, caracolando, adiante;
Da floresta partindo a coroa verdejante,
A qual deixa, sinuosa, esbranquiçada lista.

Valles galgo, veloz; dos morros subo à crista;
Cerros transponho aqui, abruptos, num instante,
Um minuto não paro e a estrada coleante,
Sempre diante de mim, a se perder de vista.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Escritório do Trapiche Municipal de Santarém


Construído na primeira gestão do prefeito Everaldo Martins, o escritório do Trapiche Municipal de Santarém assim se apresentava para os santarenos nos anos de 1960. Fotografia cedida ao blog pela senhora Jercyra Carneiro do Valle.



Frente da cidade na década de 1960


Parte da frente da cidade de Santarém durante o período da cheia do rio Tapajós na década de 1960. Além da Praça da Matriz destacam-se os prédios do “Canto Redondo”, a Catedral, o Cine Olímpia, Tapajós Bar e Centro Recreativo.



Um cruzamento santareno no início da década de 1980


Cruzamento da Travessa dos Mártires com a Rua Floriano Peixoto (atual Wilson Fonseca) no início dos anos 1980. Em destaque o prédio da Farmácia Nacional. Foto do acervo ICBS.



A Igreja Matriz de São Raimundo na década de 1960


Padroeiro do Bairro da Aldeia, a Igreja Matriz de São Raimundo Nonato, inaugurada em 1941, assim se apresentava na década de 1960, dominando a paisagem, em frente à Praça do Centenário.



Os primórdios do Bairro Bela Vista em Itaituba – 1978


A fotografia aqui apresentada foi o registro feito após a primeira celebração religiosa (Missa) feita pela Igreja Católica em um improvisado barracão coberto de palha, no que hoje é o Bairro Bela Vista, na cidade de Itaituba. O barracão daria lugar à construção da atual Igreja Matriz do Bom Remédio.



Inauguração de estradas em Santarém em 1932


Por motivo de força maior, deixa a Prefeitura Municipal de inaugurar oficialmente, no próximo dia 15 de novembro corrente, a estrada “Piquiatuba-Lavras”, conforme noticiamos em nossa edição passada.
Entretanto, será inaugurado nesse dia, o trecho da estrada que liga esta cidade à Colônia “Andirobal”, com a presença de todas as autoridades do município e pessoas gradas. 

Movimento no Fórum de Santarém em 1969


Com a chegada dos dois magistrados para o preenchimento das duas varas de que dispõe o nosso município, o movimento no Fórum tem sido dos mais intensos, procurando os interessados dar andamento nos processos que por muito tempo dormiam nos cartórios aguardando a chegada dos representantes da Justiça a fim de restabelecê-la em toda a sua plenitude. Quem não deve ter gostado da vinda dos juízes, acreditamos, são aqueles que têm culpa nos cartórios, pois certamente serão chamados a prestar contas dos seus atos perante os magistrados. 

terça-feira, 7 de agosto de 2018

O Capitão dos Portos e a Eleição da Colônia de Pescadores – 1948


Chegou hoje (24 de julho) a esta cidade, procedente de Belém, via aérea, o exmo. Sr. Capitão de Fragata Heitor Almeida de Sá, digno comandante da Capitania dos Portos do Pará, que aqui veio proceder a eleição da Colônia de Pescadores Z 24 a realizar-se amanhã (25 de julho).
Apresentaram-lhe votos de boas-vindas, no seu desembarque, o sr. Elias Pinto, em nome do sr. Prefeito Municipal, e o sr. 2º Tenente Manuel Barbosa da Silva, Agente da Capitania dos Portos nesta cidade.

Uma cerimônia no posto de puericultura de Santarém – 1946


Teve lugar no dia 25 de dezembro corrente, a cerimônia de levantamento da cumieira do Posto de Puericultura, que por conta da Campanha de Assistência à Infância está sendo construído na Praça Barão de Santarém, em terreno para tal fim adquirido pela Prefeitura.
A benção foi lançada por Frei Domingos, Vigário da Paróquia, com a presença de todas as autoridades, além de grande número de funcionários públicos e de vários populares. 

A ponte sobre o igarapé do Juá em 1982


Um dos igarapés presentes no imaginário lendário de nossos ancestrais indígenas, é o igarapé do Juá. Com a construção da rodovia Fernando Guilhon, ligando o novo Aeroporto à cidade, uma ponte foi construída sobre o citado igarapé, aqui vista nesta fotografia em 1982, que foi cedida ao blog pela senhora Neide Lira.



O grande Cruzeiro de Belterra – 1954


Carregado por grande número de homens, durante o encerramento de uma Santas Missões em Belterra, no dia 26 de setembro de 1954, um enorme cruzeiro é conduzido pela praça diante da Igreja Matriz de Santo Antônio, para ser levantando como sinal da pertença a Jesus Cristo. Sobre o cruzeiro carregado, vão três crianças conduzindo bandeiras das associações religiosas e um padre.



O cais de arrimo no bairro da Prainha em Santarém


Construído na primeira administração do prefeito Everaldo Martins, o cais de contenção fluvial pode ser visto nesta imagem da década de 1960, visto a partir da Praça Barão de Santarém em direção à Avenida Adriano Pimentel. Fotografia cedida ao blog pela senhora Jercyra Carneiro do Valle.



Os novos membros do Conselho Escolar de Santarém – 1934

Conforme comunicação telegráfica do sr. Dr. Amazonas de Figueiredo, Diretor Geral da Educação, ao sr. Prefeito Municipal, foram nomeados para constituir o Conselho Escolar desta cidade os senhores: professor Antônio Batista Belo de Carvalho, Antônio Rodrigues Nunes e Felisbelo Jaguar Sussuarana, que funcionarão sob a presidência daquela autoridade municipal.