domingo, 20 de janeiro de 2019

Ponte sobre o igarapé do Irurá


Rua Raimundo Fona em 1985


Escadaria do Morro da Fortaleza na década de 1950


Orla da Adriano Pimentel na década de 1960


O dia que adoçaram o rio Tapajós...


Funcionários da Companhia Docas do Pará – CDP, lançaram ao rio Tapajós, na semana passada, mais de cinco mil quilos de açúcar, considerado pelas autoridades sanitárias como anti-higiênico, resultante do derrame nos porões do navio Mirosul e no píer do Cais do Porto. Com isso, acabou o quiproquó surgido sobre o assunto quando o presidente da União Sindical, Francisco Cunha, denunciou que aquele açúcar seria vendido ao público. 

Notícias de Oriximiná e Alenquer em 1979


Com verba no valor de mais de 800 mil cruzeiros, o prefeito Raimundo Oliveira, de Oriximiná, iniciou a pavimentação da rua Barão do Rio Branco, numa extensão de quase cinco mil metros. O serviço está sendo feito na base do cimento ciclópico e será concluído ainda em setembro.

O Movimento Cultural “Bandeira Branca” – 1979


O movimento “Bandeira Branca”, cuja filosofia de trabalho se apoia na criança, na ecologia e no homem voltado à natureza, depois do encontro com as crianças, no último dia 31 de janeiro, colocam em pauta as seguintes realizações: o Baile do Horror, no São Francisco Futebol Clube, hoje (10 de fevereiro); Noite de Seresta, no dia 12 de fevereiro, na Praça Barão de Santarém e um Show Lítero Musical, no dia 14 de fevereiro, na Casa de Cultura onde serão apresentadas músicas, em sua maioria de compositores mocorongos, com voz central de Maria Lídia Mendonça (foto). Também farão parte do movimento musical: Djalma, Banjo, Eduardo Phebus, Marreta, João Cavalero e Marcília.

Santarém vista do “Leopoldo Peres” – 1961


A antiga PA 81 no ano de 1970